template

Quando se trata de branding pessoal, temos visto algumas coisas loucas ultimamente. Uma coisa é clara, a marca pessoal tornou-se menos uma vantagem competitiva e mais uma exigência. Tornou-se uma realidade para o processo político, para promover mudanças sociais, para aproveitar as oportunidades de negócios e até para ajudar (ou prejudicar) em nossas vidas amorosas.

Como todos nós queremos tirar proveito desta realidade importante do mundo on-line, os aconselho a serem inteligentes sobre sua marca pessoal. Faça um balanço desses erros clássicos de branding pessoal antes de você mesmo tropeçar e comete-los.

Aqui estão os 5 principais erros de branding pessoal:

 

1. Pensar que não pertence a você.

Se você é um estudante do ensino médio ou um executivo, a marca pessoal está aqui para ajudá-lo a levar sua carreira para o próximo nível.

Marca pessoal é tudo sobre marketing e se diferenciar. Trata-se de assumir o controle de sua narrativa on-line para ajudá-lo a atingir seus objetivos.

Se você é um estudante do ensino médio, seu objetivo pode ser ganhar aceitações de faculdades competitivas. Se você é um estudante universitário, você precisa mostrar suas habilidades para conseguir um estágio ou um emprego de verão. Se você é um executivo, então você pode estar visualizando o crescimento do seu negócio, ganhar mais clientes, ou mudar para uma nova indústria.

Seja qual for o seu caminho, sua presença on-line pode ajudar ou atrapalhar ao longo do caminho.

Não cometa o erro de pensar que o branding pessoal não pertence a você.

2. Fingindo ser alguém que você não é.

Quando estamos namorando alguém novo, muitas vezes tentamos mostrar o melhor lado de nós mesmos. Talvez nossos apartamentos pareçam um pouco mais limpos do que normalmente são. Ou talvez nossos trabalhos tornem-se de repente mais interessantes e impressionantes do que eram na semana passada.

Em pequenas quantidades, esta prática pode ajudá-lo a ganhar a atenção de alguém e forjar uma conexão mais profunda. Levado muito longe, você arrisca tornar-se alguém que você não é para o bem de continuar um relacionamento.

Agora, pense em marca pessoal como namoro. Se você mostrar seletivamente o seu lado positivo on-line, você se dá a melhor chance de atrair a atenção de empresas e novos clientes.

Mas se você levá-lo muito longe, você arrisca um tiro pela culatra. Ninguém quer namorar, contratar ou empregar uma fraude. Autenticidade é fundamental, tanto para relacionamentos quanto para marcas pessoais.

Não cometa o erro de fingir ser alguém que você não é.

3. Esperar até que algo ruim aconteça.

Dentistas recomendam escovar os dentes duas vezes por dia, todos os dias. Você pode imaginar o que aconteceria se você escovasse os dentes somente uma vez ao dia e eles começaram a ficar amarelados? Você provavelmente teria dores de dentes bastante brutais, e seu sorriso deixaria muito a desejar.

Uma vez que você chegar a este ponto, geralmente é tarde demais para corrigir tudo. No mínimo, há muito terreno a fazer. Escovar os dentes em uma base contínua é uma maneira muito mais eficaz para manter um sorriso vencedor e boa higiene bucal.

O branding pessoal funciona da mesma forma. É mais difícil assumir o controle de sua narrativa on-line uma vez que há algo de ruim que você precisa lidar.

Um pouco de trabalho agora pode tornar as coisas muito mais fáceis mais tarde.

4. Não fazer as perguntas difíceis primeiro.

Você se sentaria para comercializar um negócio quando você ainda está inseguro sobre o que é o produto? Claro que não.

O mesmo acontece para a marca pessoal. Você precisa fazer algumas perguntas importantes primeiro antes de escrever um post no blog ou enviar o primeiro tweet. E a razão é simples. Pode não ser um processo fácil ou confortável, mas descobrir o que te faz “você” é o primeiro passo necessário para tornar a sua marca realista e relacionável – e ficar na frente das pessoas que mais importam.

As pessoas que pulam este passo e saltam imediatamente para a embalagem são aqueles que acabam com marcas forçadas que não podem se relacionar.

Marca pessoal exige muito tempo, com foco no design do site, marketing de conteúdo e atividade de mídia social. Com toda essa atividade on-line, seria tolice não determinar sua proposta de valor original ou seu público-alvo. Caso contrário, você está andando em círculos.

5. Ignorar outros no processo de descoberta de marca.

Ao criar uma marca pessoal, você não pode ignorar a importância da consultoria externa de amigos, família ou uma empresa de branding profissional. Afinal, você não está criando uma marca para impressionar a si mesmo, você está criando uma marca para impressionar os outros. E é muito difícil ter uma visão clara de sua própria perspectiva.

Falar sobre sua marca com outra pessoa pode ajudá-lo a ficar um pouco longe da narrativa que você já tem em sua própria cabeça. É a mesma razão pela qual pagamos psicoterapeutas e conselheiros matrimoniais – e empresas de branding – por seus conselhos e perspectivas.

E as conseqüências de fazer um erro de branding são bastante assustadoras. Você pode executar uma “ótima ideia”, apenas para descobrir depois que é extremamente ofensivo para um grupo central do seu público.

Um olhar um pouco fora da sua perspectiva ajuda num longo caminho.

Fonte: Entrepreneur

anuncio_ebook_postagem

2 Comentários

Deixe um comentário